Home » Notícias » Café da Manhã tem que ser “da manhã”

Café da Manhã tem que ser “da manhã”

O café da manhã é uma das 3 refeições principais que devemos consumir sempre, o nome “café da manha”  é na verdade o desjejum, originário do latim que significa o rompimento do jejum involuntário mantido durante o sono.

A recomendação brasileira é que ele deva ter 25% das calorias totais que serão consumidas durante o dia, que o café da manhã é importante já se sabe, mas será que a maioria da população brasileira realiza nos horários estabelecidos com freqüência!

Devemos ter em mente que por ter permanecido em um sono médio de 6 á 10 horas o nosso corpo necessita de nutrientes para funcionar, durante o sono o corpo utiliza a energia para fabricar hormônios e restaurar o estresse físico e mental que foi originado no dia anterior.

As crianças e adolescentes são os mais vulneráveis, apesar de precisar de reservas de energia e nutrientes, muitas vezes elas ignoram, deixando de comer a refeição por completo ou simplesmente substitui por alimentos impróprios para o horário, ao longo do desenvolvimento infantil e pubiano as conseqüências terão impacto negativo na vida adulta e idosa.

A primeira refeição deve ter uma ingestão adequada com alimentos ricos em nutrientes contribuindo para uma dieta saudável e auxiliando no controle de peso e no rendimento escolar.

Estudos apontam efeitos positivos no desenvolvimento cognitivo acadêmico, na atenção e na memória em atividades escolares e na freqüência escolar para crianças e adolescentes.

Devemos sempre fortalecer a importância do café da manhã, respeitando o hábito alimentar, porém sem se esquecer que um consumo adequado deve conter 01 fonte de cereal (pão, bolachas, bolos) com 01 fonte láctea (iogurtes, queijos e leites) além de frutas.

 

Henrique Tiago Neto
Nutricionista – Personal Nutrition

About nutrimeu

Check Also

InShot_20171203_111326252

Dieta cetogênica – existe algum benefício?

É contraproducente pensar em boa performance com restrição de carboidrato, no entanto, a restrição pontual …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *